Saúde,

Suas lâmpadas estão te cegando – e te deixando com depressão



Descobri que as lâmpadas da minha casa estavam me cegando e me deixando com depressão e ansiedade. Se você não está enxergando bem, ou está deprimido, com falta de energia e sono desregulado, leia meu relato abaixo, pois ele poderá salvar sua vida.

Após uma temporada de vários problemas na minha vida, me mudei para uma nova casa em janeiro de 2016. O local é bem parecido com minha moradia anterior: sem vizinhos, sem barulho e com uma grande área verde em frente – tudo em nome da minha tranquilidade e da qualidade de vida dos meus gatos.

Porém, algo não estava certo: eu já tive muitos altos e baixos na minha vida, mas isso nunca havia me deixado sem vontade de sentar na frente do computador e trabalhar/estudar. E não apenas isso: eu não conseguia mais fazer atividades físicas pois estava sempre cansada e sem energia, minha visão estava embaçada, meus olhos sempre secos, não conseguia me concentrar em nada, não conseguia estudar, estava sempre altamente estressada e ansiosa. Por mais que eu dormisse, descansasse e fizesse as coisas que gosto, nada me fazia sair dessa situação. Os dias e meses passavam como se fossem horas, e eu não conseguia fazer ou mudar nada na minha vida. Só tinha tempo para trabalhar.

“Estou com depressão” – pensei. Todos sintomas apontavam para isso, ou pelo menos quase todos. Eu sempre tive problemas com sardas e elas estavam cada vez maiores e mais escuras, embora eu cuide muito bem da minha pele. Para melhorar, me forcei a voltar às atividades físicas, tentei fazer minha casa ficar o máximo parecida com a anterior, mudei móveis de lugar, melhorei minha alimentação, mas foi tudo em vão – nada mudou.

Depois de 1 ano me martirizando e tentando inúmeras coisas para sair dessa situação, me lembrei de uns tais “óculos” para se usar na frente do computador. Eles ajudam a dormir melhor e protegem os olhos. Resolvi pesquisar sobre como eles funcionavam e descobri a minha maior inimiga: a Luz Azul.

O quê é a luz azul?

Ela é uma luz  visível pelo olho humano, de comprimento de onda curto – ou seja, ela produz uma alta quantidade de energia. Há estudos que demonstram que longos tempos de exposição a ela danificam permanentemente os olhos. Ela está presente nas telas de todos os dispositivos eletrônicos (celulares, computadores, televisores, etc). Além de tudo isso, ela também interfere na produção de melatonina, um hormônio responsável por induzir o nosso sono.

Ao descobrir isso, pensei “bom, pelo menos agora sei o que se passa com meus olhos”, e decidi comprar os óculos. Ao pesquisar mais um pouco, descobri que existe um programa chamado F.lux, que age de forma similar aos óculos, diminuindo a emissão de luz azul pela tela.

Isso foi poucos dias atrás, no começo de março de 2017. Eu estava há 2 semanas passando a madrugada toda acordada, e só conseguindo dormir na parte da manhã. Instalei o F.lux no meu computador as 23h, e em 2 horas utilizando eu estava totalmente “bêbada de sono”, algo que não acontecia há mais de 1 ano.

FUNCIONOU!!! Não é possível que uma coisa tão simples estivesse me atrapalhando tanto. Nos dias seguintes, minha visão melhorou uns 50%. Mas eu ainda não estava 100% bem, então resolvi procurar por mais fontes de luz azul na minha casa.

Lâmpadas fluorescentes, LED e incandescentes

Quando me mudei da outra casa, esqueci de pegar as lâmpadas. Comprei lampadas novas (fluorescentes) para meu quarto e meu escritório. Achei que elas poderiam estar defeituosas e isso estaria causando meus problemas, então as troquei para lâmpadas de LED, sem resultados. Até que me lembrei de que, na minha casa antiga, a lâmpada do meu quarto era incandescente (são aquelas lâmpadas redondas antigas), e eu não ligava a luz no meu escritório, pois ele recebia iluminação natural do ambiente. Pensei em trocar minhas lâmpadas novamente, porém, havia um problema: essas lâmpadas antigas emitiam radiação UV, que podem causar diversos problemas, inclusive câncer.

Acabei descobrindo que agora existem lâmpadas incandescentes que possuem um filtro que elimina a luz UV, tornando-as seguras. No supermercado encontrei apenas uma com este filtro, a da marca OSRAM. Ela custa apenas 5 reais, então não pensei duas vezes – levei para casa, e instalei no meu quarto. (deve haver mais marcas com filtro UV no mercado)

Ao ligá-la, notei que ela deixa o ambiente “amarelo” – diferentemente das outras dua que eu havia usado, que deixavam o ambiente “branco”, como se fosse azulado. Resultado: em apenas 1 semana utilizando, todos – eu repito, TODOS – os sintomas que eu estava tendo, simplesmente desapareceram. Voltei totalmente ao meu normal, consigo estudar, trabalhar, passar muitas horas no computador, não estou mais deprimida e nem ansiosa. O tempo voltou a passar na mesma velocidade de antes, e creio que em breve minhas sardas também diminuirão.

Eu fiquei totalmente inconformada. Como é possível que por apenas 5 reais e um programa de computador gratuíto eu tenha conseguido minha vida de volta? Se eu tivesse ido ao psiquiatra, estaria agora tomando vários remédios para depressão e ansiedade (motivo de eu não ter buscado auxílio médico). Se tivesse ido ao oftalmologista, estaria usando óculos. E NENHUM dos meus problemas teriam sido resolvidos, ao contrário – a medicação e os óculos teriam me causado danos físicos REAIS e permanentes.

Mas por quê não tem NINGUÉM falando sobre isso?

Em uma rápida busca pela internet, descobri que tem SIM gente falando sobre isso. Encontrei este artigo no Daily Mail, onde vários especialistas médicos – inclusive um professor do Instituto de Oftalmologia da Universidade de Londres, considerado um dos maiores especialistas do mundo na área. Ele (John Marshall), diz no artigo ter um grande estoque de lâmpadas incandescentes guardado em casa. Outro professor, John Hawk, especialista em doenças de pele, diz ter feito o mesmo. Isso porque na União Européia, a venda de lâmpadas incandescentes foi proibida, sob a alegação de se economizar energia. Até a importação delas também foi proibida.

Para fazer um resumo de todos os artigos que li em diversos sites e relatos de vários especialistas, as lâmpadas fluorescentes/LED podem causar:

  • Depressão
  • Ansiedade
  • Insônia
  • Câncer
  • Envelhecimento precoce
  • Fadiga constante
  • Falta de concentração
  • Degeneração Macular
  • Queimaduras na pele (assim como queimaduras solares)
  • Catarata
  • Dores de cabeça
  • Enxaquecas
  • Confusão mental
  • Problemas na memória
  • Tonturas
  • Convulsões
  • Deficiência de Vitamina D (que abaixa a sua imunidade e pode causar uma infinidade de outros problemas)

Sim, tudo isso! E de quebra, ainda encontrei várias outras pessoas na internet com relatos semelhantes aos meus, como os deste fórum, onde um usuário começou a ter depressão após passar a usar uma lâmpada fluorescente. Depois dele, apareceram outros com o mesmo relato.

Depois de todo esse sofrimento, eu me pergunto: será que os psiquiatras e oftalmologistas do Brasil sabem disso? Quantas pessoas devem estar tomando vários medicamentos para depressão e usando óculos, quando o problema na verdade é a lâmpada que está no teto? Quantas pessoas já gastaram litros e mais litros de protetor solar, mas terão câncer de pele de todo jeito por causa da luz UV dentro de suas próprias casas? Quantas pessoas estão gastando dinheiro com suplementação de vitamina D, porque se tornaram incapazes de produzí-la devido a estas lâmpadas?

Se você sente alguns destes sintomas, experimente substituir as lâmpadas dos ambientes que você mais usa e instalar o programa F.lux no seu computador (caso trabalhe várias horas por dia nele) e celular. Deixe seu relato abaixo nos comentários e divulgue esse conteúdo para que minha péssima experiência possa ajudar outras pessoas.

 

writer

The author didnt add any Information to his profile yet

  • Humberto Marques

    Andressa, por gentileza pode nos indicar exatamente qual lâmpada usou e melhorou sua qualidade de vida? Tenho enfrentado problemas exatamente iguais aos que enfrentou. Muita dificuldade com a depressao, dificuldade para estudar e retornar ao mercado de trabalho.

    Passo muito tempo no computador e sob lampada fluorescente, percebi que minhas pintas (tenho muitas desde o nascimento) tem crescido e surgido novas pintas. Pelo seu relato e pelo estilo de vida parecido, a culpa realmente pode ser do computador e das lâmpadas da casa.

    • Considere essa a única vez na sua vida que uma mulher além da sua mãe vai fuçar no lixo para pegar algo pra vocÊ XD

      https://uploads.disquscdn.com/images/4c4214719df1b48a2457a4a7fa87be0ad225a29a8bc9fb20f5c2f5b12b3b410e.jpg

      • Humberto Marques

        Bom dia Andressa!

        Obrigado pelo retorno!

        Comprei essa mesma lâmpada :D, um pouco mais forte só 70w~100w. Coloquei no meu quarto onde fico a maior parte do tempo em casa. Os demais cômodos são lâmpdas de LED.

        Além de sinais na pele, tive depressão e hoje tenho dificuldades em dormir e sérios problemas de concentração. Instalei também o F.LUX no computador e espero que essas mudanças melhorem minha qualidade de vida.

        Obrigado pela atenção e por compartilhar informações relevantes!

        Atenciosamente.
        Humberto M.

    • Daniel Guilbi Azevedo

      oi Humberto, eu recomendo verificar a temperatura de cor da lampada, independente do tipo led ou fluorescente, o ideal é 2700k que é uma escala chamada Kelvin, que mede a temperatura de cor da luz

      • Mona Nadeshiko

        Onde posso verificar essa informação sobre a temperatura da cor da lâmpada?

        • Caike Batista

          Na embalagem da lâmpada vem explicando

          • Mona Nadeshiko

            Então Caike, nem sempre.
            Hoje mesmo fui ao supermercado, haviam três marcas e apenas uma continha a informação na embalagem. E ainda fiquei com dúvida pois dizia luz branca morna: 2.800k. Por via das dúvidas eu trouxe, mas vou buscar mais informações. De todo modo, agradeço. 🙂

          • Raquel

            Oi Mona, e no que é que deu essa luz branca morna? Qual o aspecto dela? Branca? Amarelada? Deu certo?

  • Sandra Taranto

    Andressa, bom dia. Tenho vários desses sintomas e recentemente é que fiz contato com esse tipo de informação. Não sabia nada a esse respeito. E já há alguns anos, não tenho mais lâmpadas incandescentes na minha casa. E há um ano mais ou menos comecei a substituir todas por lâmpadas de led. Acontece que meu marido está perdendo a visão. Está com diagnóstico de membrana epirretiniana maculada. Podendo ficar cego. Ele está pesquisando, além do acompanhamento médico. Após ler o seu artigo, que me trouxe novas informações, surgiu um questionamento, que talvez você possa ajudar. Será que a lâmpada fluorescente ou led, também emite essa luz azul ? Você já leu à respeito. Teria algum artigo para indicar ? Obrigada por compartilhar seus conhecimentos. Muita luz no seu caminho.

    • Andresa

      Oi Sandra! Sinto muito pela doença do seu esposo.

      Pesquisei sobre a doença do seu marido para entender melhor, e ela pode ocorrer em consequência de outras doenças, como diabetes, doenças inflamatórias e degeneração macular. As lâmpadas fluorescentes e LED causam degeneração macular e, portanto, elas podem ter acelerado a condição do seu marido. Porém, não é possível afirmar se foram elas que causaram o problema nele. E sim, essas lâmpadas emitem a luz azul, e é por isso que causam esta degeneração.

      Neste artigo do Daily Mail, o médico professor do Instituto de Oftalmologia da Universidade de Londres, John Marshall, afirma que as CFLs (que são as lâmpadas de baixo consumo de energia, fluorescentes e LED) causam a degeneração macular:

      http://www.dailymail.co.uk/health/article-2626564/The-medical-experts-refuse-use-low-energy-lightbulbs-homes-Professors-stocked-old-style-bulbs-protect-against-skin-cancer-blindness-So-YOU-worried.html

      Vou traduzir aqui o pedaço em que ele fala sobre isso:

      “Exposição sustentada a comprimentos de onda de luz ultravioleta de [lâmpadas] CFL aumenta o risco de duas condições seriamente debilitantes do olho, degeneração macular e cataratas”, afirma o professor.

      Com a degeneração macular, a mácula, que está no centro da retina, fica danificada com a idade. Uma catarata é uma turvação da lente dentro do olho. Estas são duas das principais causas de cegueira na Grã-Bretanha.

      Existem muitos artigos no Google. Em inglês, você acha até artigos científicos que provam isso de fato. Procure por “macular degeneration CLF” em inglês ou “degeneração macular lampadas” em português.

      Agora, minha opinião pessoal? Eu acho que vale a pena trocar as lâmpadas da sua casa, dos lugares onde seu marido mais fica (quarto, sala, etc), não precisa trocar todas. Ele pode até não melhorar, mas pelo menos você vai ter certeza de que não está acelerando a piora dele.

      Se tiver mais algo que eu possa fazer por você é só falar.

  • Lucy Reina Orquiza

    Adorei a matéria ,também tenho vários destes sintomas citados , vou procurar saber mais sobre o assunto!

  • Ian Barros

    Sempre soube que a luz amarela me dava mais aconchego. Mudei para LED, mas utilizo temperatura de cor 2700k

    • Bruno Tonelli

      Ian, essa temperatura de cor da LED não emite a luz azul? Vc tem essa info?

      • Daniel Guilbi Azevedo

        Oi Bruno, realmente ela emite uma quantidade muito pequena de luz azul, como qualquer outra fonte de luz, mas a frequência e a temperatura de cor garantem que é muito menor que a tal “luz Branca”

  • Bruno Tonelli

    Gracias por compartilhar a informação! Geralmente escritórios usam aquela lâmpada comprida, será que ela causa esses mesmos danos?

    • Anounimus

      Sim

  • Italo Resende

    Andresa, há algo que não consigo entender. Vc escreveu: “Acabei descobrindo que agora existem lâmpadas INCANDESCENTES que possuem um filtro que elimina a luz UV, tornando-as seguras”, mas a lâmpada da OSRAM que vc indicou é HALÓGENA. Explique isso, por favor…

    • “Halógena” e “Incandescente” se referem ao mesmo tipo de lâmpada. Porém o termo “incandescente” é o mais usado – https://pt.wikipedia.org/wiki/L%C3%A2mpada_incandescente

      • Beta Romeo

        Só para complementar: lâmpada halógena é um tipo de lâmpada incandescente que contêm pequena quantidade de gás halogênio em seu interior. Serve para que o tungstênio vaporizado do filamento não se deposite no bulbo de vidro, tornando-o escuro com o uso.

    • Anounimus

      Olá italo. Halogenados pois ela contém uma substância halogena que “amplifica” a luz gerada pelo fio incandescente. Substitui todas as lâmpadas ditas frias por esta halogena.

    • Luiz Carlos Querido

      As halógenas são incandescentes. Incandescente vem de Aurélio: Incandescente; Que está em brasa. Numa lãmpada incandescente, a luz é produzida por um filamento que é aquecido até que o mesmo incandesça.

  • Isabel Caetano

    Oi Andresa, tem uma lâmpada led mas a luz é amarela, será que essa pode ser usada?

    • Essas lâmpadas apenas simulam a cor para os nossos olhos. Por baixo da cobertura amarela dela, continua havendo um LED emitindo luz azul. A quantidade é um pouco menor que a de uma lâmpada LED branca, mas continua sendo muito mais alta que uma lâmpada incandescente/halógena. Eu até pensei em tentar uma dessas quando fui no supermercado comprar, mas pensei que elas talvez não fossem ajudar com as minhas sardas e por isso não tentei.

  • Denise Mercer

    Não existem mais lâmpadas incandescentes para vender… o que fazer?

  • Ana Lúcia Cid

    Caraca! Estou exatamente assim! Vou procurar as lâmpadas Osram Hoje! Ou seja, o próprio sistema está nos deixando doentes! Até a vista está ruim como vc disse! Muito grata! Depois conto o resultado!

  • Estevão Östein

    Olha, tudo bem, teu artigo vale ser conferido através de outras fontes e pesquisas reais, mas é bem plausível, pois luz fluorescente é um veneno. Agora, é muita irresponsabilidade tua escrever que a medicação teria causado danos físicos REAIS e permanentes! Não! Medicação antidepressiva na maioria dos casos é necessária, desde que orientada. Antidepressivos não causam danos permanentes, depressão causa danos e muitos permanentes, como o suicídio.

    • Donna Kether

      Medicação para quem não precisa causa danos permanentes sim, o contexto está claro. Aff

      • Estevão Östein

        Não! Estas muito errada! Medicação para a depressão é segura e só poder causar efeitos negativos enquanto estiver tomando. Afff

        • Milena Eich

          Nossa, é só ler as bulas. Mesmo ajudando a quem precisa, a medicação antidepressivos pode causar danos, sim, e dos graves. Tendências ao suicídio, inclusive. Elas afetam o emocional e o hormonal das pessoas e só devem ser usadas em caso de real necessidade.

    • Hans Otto Kroeger

      Também quería esclarecer um detalle (que devería ser conhecido por todos), e que deixa em evidencia que a publicaçao carece de seriedade:
      Faz décadas que existem lámpadas fluorescentes que emitem “luz do día”, e inclusive luz amarela. É só prestar atençao na hora da compra.
      Com mais razao nas lámpadas led, da qual, uma das principais características técnicas é a facilidade de controle da largura de onda, razao pela qual, ainda que técincamente os modelos comercializados atualmente emitem a mesma “quantidade de luz” (lumens) que as fluorecentes, as lámpadas led acabam sendo muito mais eficientes (um ambiente iluminado com leds necesita aprox. a metade dos watts que um ambiente iluminado com fluorecente) – mas nao por produzir mais “luz” senao porque nao produz faixas de iluminaçao invisível ao olho humano (nao produz nem luz infravermelha, nem luz ultravioleta – que evidentemente também consomem energía, e sao medidos).
      Por suposto: Com meia hora ao sol você receberá mais radiaçao ultra-violeta que durante 24 horas em ambiente iluminado com lampadas de filamento incandescente, ou fluorecentes. Razao pela qual a pubicaçao nao merece nenhuma credibilidade.

    • Então eu acho que você nunca leu a bula desses medicamentos. O mais popular hoje, o Rivotril, que também é tido como um dos mais seguros e modernos antiansiolíticos, segundo sua bula, causa:

      – DEPENDÊNCIA FÍSICA E PSIQUICA(o pior na minha opinião),
      – infecção do trato respiratório,
      – fadiga,
      – gripe,
      – depressão,
      – irritabilidade,
      – ataxia,
      – perda de equilíbrio,
      – náusea,
      – vertigem,
      – insônia,
      – sinusite,
      – concentração prejudicada,
      – distúrbios no sistema imunológico,
      – distúrbios no sistema endócrino,
      – distúrbios no sistema nervoso,
      – distúrbios oculares,
      – distúrbios cardíacos,
      – distúrbios gastrintestinais,
      – distúrbios muscoesqueléticos,
      – distúrbios renais,
      – distúrbios do sistema reprodutivo

      Se isso é ser “seguro” para você, desculpe mas para mim não é.

      Tenho um amigo dependente de Rivotril, ele simplesmente acabou. Ele fica bem enquanto está tomando, mas a cabeça dele não aguenta mais estudar. Se um dia acontecer alguma coisa comigo que eu não possa usar minha cabeça 100%, não vou ter mais razão de viver.

      • Estevão Östein

        Copio e colou de onde querida. Mas deixa eu ajudar a tua burrice: esses efeitos são passíveis de acontecer em uso, em tratamento e não PERMANENTES como vc escreveu. Só pq tem um blog, coloca qualquer porcaria aqui, acha que é verdade. Faz a porra de uma busca no Google e acha que estudou algo. O Hans Otto Kroeger aqui já provou que tua tese é só mau informada… e só. Conviva com isso, querida.

        • Os efeitos colaterais estão na bula do medicamento. Segue:

          http://www.medicinanet.com.br/bula/4557/rivotril_clonazepam.htm

          Se você perder o equilíbrio, cair na rua e for atropelado, será que o efeito da morte vai ser temporário? Por sinal, isso ocorreu estes dias:

          http://g1.globo.com/rio-de-janeiro/noticia/estudante-de-direito-morre-atropelado-em-frente-a-puc-na-zona-sul-do-rio.ghtml

          Todos os efeitos listados, sem excessão, podem causar sequelas permanentes, de forma direta ou indireta.

          Não adianta me xingar, qualquer um que leia o que eu disse e veja a bula destes medicamentos sabe a verdade. Você pelo visto é dependente de algum deles, ou ganha algo os promovendo.

          Se não gostou, faça um blog para você e vá choramingar lá.

        • Juliana Rosa de Freitas

          Quanto stress… Troca tua luz, rapaz!!!

        • Paulo

          Não baixa o nível. E, apenas para uma correção, a palavra “mau” que empregaste não está correta: deverias ter escrito “mal”.

        • João Batista Armani

          Estevão Östein na vida podemos discordar de opiniões, isso é livre, mas nos cabe também aceitar que as pessoas possam ter opinião diferente da nossa. O que não nos cabe é sermos mau educados. Você está usando termos ofensivos tipo “irresponsabilidade” e “burrice” e até agora não nos disse qual é sua formação ou conhecimento no assunto. Ou você só está tecendo comentários por “achômetro”?

        • João Batista Armani

          Veja o que está na bula do Alprazolam:

          2. COMO ESTE MEDICAMENTO FUNCIONA?
          É um medicamento da classe dos benzodiazepínicos que atuam no sistema nervoso
          central. A maneira como alprazolam age não é totalmente conhecida. Clinicamente,
          todos os benzodiazepínicos causam um efeito depressor no sistema nervoso central
          relacionado com a dose, que pode ser desde um comprometimento leve do
          desempenho de algumas tarefas até o sono.

      • regina lian

        Rivotril não é antidepressivo!!!!!! Antidepressivos NÃO causam dependência!!! Por isso são tarja vermelha e rivotril é tarja preta!!!!!!

        • O Rivotril é antidepressivo SIM, está escrito na própria bula dele. Segue – http://www.minhavida.com.br/saude/bulas/10-rivotril-comprimido

          Há vários antidepressivos com tarja preta e que causam depressão. Por favor, não espalhe desinformação.

          • Sandra Freitas

            Andressa, o Rivotril não é antidepressivo. Ele é um ansiolítico que às vezes é utilizado como tratamento coadjuvante de alguns casos de depressao, em especial o distúrbio bipolar do humor. Nestes casos ele é associado a antidepressivos. O rib

    • Leandro Rodrigues

      Desculpe desanimar. Mas sabe quando você melhorará de depressão com remédios? Nunca! Se quiser melhorar dê um jeito de corrigir seu intestino (isso mesmo – 90% da serotonina é produzido lá). Leia sobre depressão e biomassa de banana verde. Leia sobre os aminoácidos necessários como o triptofano, precursor da serotonina. Vitamina b12 e vitamina D3. Só assim você sai da depressão, sem efeitos colaterais e sem enriquecer a indústria farmacêutica, que só engana a população e doutrina médicos com “pesquisas científicas” patrocinadas por elas mesmas.

    • Carolina Kadix

      o artigo dela inteiro é irresponsável e burro no que diz respeito a depressão. É claro que ela nem sabe o que é isso.

    • Além de alimentar essa animosidade frequentemente burra com relação à indústria farmacêutica. Parte-se das mais que justas desconfianças e críticas – óbvio que há um discurso patologizante na sociedade e um excesso de medicalização -, pra pura teoria da conspiração, achismos e curandeirismos em geral. Medicamentos melhoram e salvam vidas – e não poucas.
      Discursos assim são a semente pra outros muito piores, como movimentos anti-vacina que vê-se crescendo por aqui e lá fora.

  • John

    nao se aboliu pq era feio, mas pq os monitores atuais nao emitem mais raios como os monitores antigos (que utilizavam um tubo de raios catódicos)..

  • Guilherme Neumas

    Oi Andresa, interessante isso do F.Lux, uso ha anos, todos me criticam pq meu computador tem ‘tela antiga’! Mas gosto mesmo, ainda nesse sentido, trabalho muito no computador, com texto principalmente, li há anos um trabalho sobre “ergonomia no trabalho” que a melhor combinação de cor de fundo e texto, seria um fundo com tom de papelão, meio marrom, meio laranja e fonte preta, de preferencia com serifa – que ajuda a manter o foco na linha que se esta lendo. Uso essa configuração há anos e nao tenho a menor vontade de mudar, eh ruim pra começar mas depois acostuma! Outra coisa, na emissão de luz azul, um filtro poderia anular, como anulou no caso das lampadas UV, nesse caso tanto faz se a fonte original emite ou não. Outra analogia, ja usou um filme de foto queimada para ver o sol diretamente? A origem (aqui o sol) continua emitindo o espectro completo de cores mas o filme negro queimado, filtra a maioria.

    • Cleber Curi

      Melhor ainda se fosse fundo verde claro com letras azuis escuras. Aprendi isto num livro que cita fatos científicos ter 2100 em diante , não lembro o nome, mas era muito real para mim.

  • Gabriel Bertran

    Eu também adoro as lâmpadas incandescentes, são muito melhores pra ler, pra comer, etc. Ainda tenho um pequeno estoque delas em casa, mas quando acabar… elas foram proibidas no Brasil também, infelizmente… É terrível isso! A população toda vai adoecer!

  • Daniel Guilbi Azevedo

    Olá, gostaria de adicionar um importante comentário, o problema não é a lampada ser de led ou fluorescente, o problema é a temperatura de cor, existem lampadas de led e fluorescentes que não produzem essa luz azul, segue o meu comentári no Face para entender melhor, obrigado.

    Essa mania de usar luz “Branca” causa vários problemas, até mesmo as lampadas de led, temos que usar sempre a luz amarelada, muito melhor para a saúde, basta observar a “Temperatura de cor” marcada nas lampadas, em escala “Kelvin” utilizada com sua abreviatura “k” então na medida Kelvin quanto menor melhor, exemplo as luzes brancas ficam na casa dos 7.000k enquanto as amareladas ficam abaixo de 5.000k, fica a dica, quando for comprar novas lampadas prefira as de luz morna ou quente, que não necesariamente aquece o ambiente, são somente nomenclaturas para a temperatura de cor, tudo de bom para todos.

    E adicionando,como vi em outros comentários aqui o ideal é a de 2700k realmente

    • Ane Elisa

      Está certíssimo Daniel!
      Acrescentando: temperatura de cor refere-se às cores que serão intensificadas por essa luz. A chamada luz fria é a luz que intensifica as cores frias (azul, verde) e as cores quentes, intensificam as cores quentes (vermelho, amarelo). A cor dos objetos está relacionada com a frequência do espectro que eles retém, e àquele que refletem. A cor preta absorve tudo, e não reflete nada, a cor branca reflete tudo. Cada cor retêm uma frequência do espectro de luz e reflete as restantes, nos dando a noção das cores. Com as lâmpadas amarelas, são ressaltadas as cores quentes. A sensação muda drasticamente, mas não a luminância, que é medida em Lux. Já vi muita gente dizendo que luz branca deixa o ambiente mais claro, tento argumentar que é uma baita bobagem, mas não adianta, as pessoas acreditam que a luminância é melhor com a luz branca. A luz amarela é muito mais confortável.
      Na hora de comprar lâmpadas, basta verificar a temperatura de cor, como você falou, ou pedir ao vendedor lâmpadas “amarelas”.

      • Marco Zampol

        Vocês tem toda a razão, embora exista uma sensibilidade humana relacionada a questão das fluorescentes e LEDs de cor quente (pois mesmo em 2700K e 3000K eles ainda tem o pico no azul) isso não tem uma interferência tão forte na nossa fisiologia.

        • Stella Maris B

          As empresas fizeram muitas investigações científicas sobre os efeitos dá temperatura de cor para o ser humano e concluíram que a cor “azul” 8000 k (Kelvin) ativa a seratonina impedindo o sono. Assim essa cor é utilizada nos ambientes de trabalho que necessitam fazer 4 turnos, especialmente linhas de produção de algumas indústrias, ou seja, a tecnologia ajudando os donos das empresas a “facilitar” a produção! O uso indiscriminado das cores brancas ou frias está relacionado inclusive com os Transtornos de comportamento em bebês, criancas e adolescentes.

          • Raquel

            Se a luz de cor “azul” 8000 k (Kelvin) ativa a seratonina, por que a depressão?

          • Stella Maris B

            Raquel, ,desculpe mas não entendo de depressão, só prestei uma informação.

          • Glau Alves

            Horario errado para serotonina, a noite a serotonina é convertida em, ou deveria ser convertida em melatonina. Tudo desregulado faz mal.

        • Arley Ramos da Silva

          Olá amigo. Esta lampada da Philips seria uma boa escolha para a sala? A noite passamos a maior parte do tempo com nosso filho na sala, brincando, ou vendo TV. Queria começar com uma lampada amarela de qualidade. Muito obrigado desde já!! “Lâmpada Led Bulbo 13w Bivolt Amarela
          Philips”

          • Marco Zampol

            Bom dia!, ví só hoje a sua pergunta, espero que ainda consiga te ajudar. Arley, o importante é usar lâmpadas de tons quentes, que seriam entre 2700K e 3000K. O fato de ela ser LED sim tem a questão do pico no Azul (não vemos a olho nú) mas ainda não temos nenhuma comprovação suficiente de que isso cause qualquer dano a saúde. Então se esse produto que você vai comprar está entre os tons de temperatura de cor quentes eu considero uma boa lâmpada.

          • Arley Ramos da Silva

            Olá Marco, muito obrigado pela resposta. Eu comprei esta ai da foto na C&C. paguei 40 reais. Chegou hoje e vou testar. Ele está na faixa que você fala, de 3000K como pode ver no verso da embalagem. Vou observar por algum tempo e volto aqui para dar meu relato. Eu também reduzi o brilho da minha TV a noite, e fez uma diferença absurda em como nos sentimos mais confortaveis ao assistir TV com nosso filho. Não sei tem alguma explicação tipo a que estamos tratando aqui, mas eu senti diferença.

            Mais uma vez muito obrigado pela resposta!!!

            https://uploads.disquscdn.com/images/7802d3bcc9b263183729bbb09671d5b71e8b1074efc69c12ac6e079ac5b1f47c.jpg https://uploads.disquscdn.com/images/eedc60c6ba3ea684ca7f660219330ee54c17f39b5b16500871dfb968cd4f9528.jpg

      • bella see

        Mas precisam ter o filtro UV (anticancerígeno), certo?

        • Mateus Zanitti

          Observe que o artigo cita tres tipos de lâmpadas.
          Incandescentes (sejam halogenas ou de filamento), emitem luz predominantemente na parte vermelha do espectro, e não chegam nem perto do UV.
          Fluorescentes: emitem raduação UV que é convertida em visível por uma camada metálica (que da a cor branca ao “bulbo” da lâmpada (naturalmente, toda lâmpada fluorescente tem proteção contra emissão UV), com exceção das lâmpadas de luz negra (por motivos óbvios).
          LEDs (não são lâmpadas, mas isso não vem ao caso) emitem radiação somente em um comprimento de onda específico, sendo um LED branco uma combinação de dois ou três LEDs, dependendo da qualidade da lâmpada e seu preço, mesmo assim, LEDs não emitem radiação próxima do espectro UV, portanto, também não precisam de nenhuma proteção. Caso as lâmpadas emitissem raduação UV, nossa pele sofreria queimaduras (semelhantes às queimaduras solares) com o tempo.

        • Sim, isso mesmo!

          • Marcio Hideki Kodani

            Isto é algo que venho falando aos meus pacientes (sou cardiologista, mas depressão é um problema frequente em meu consultório). O feixe azul estimula a liberação de cortisol o que atrapalha o sono. Porém é necessário combater também o uso de celular (em menor escala TV e computador) que é tão ou mais nocivo, tanto que o iOS já usa um padrão amarelo no período noturno para minimizar este efeito. Ou usar óculos de lente amarela para cortar o feixe azul.

          • Léo Vaz

            A luz solar é composta também por luz azul, e a intensidade da luz azul emitida pelo sol é muito maior que a emitida pelas lâmpadas domesticas, mesmo a parcela de luz solar refletida pelos objetos externos, então fica o questionamento, a luz solar aumenta mais o cortisol de que a luz artificial das lâmpadas?

          • Alessandro Cometti

            E por que você acha que a maioria da população dorme durante a noite e não durante o dia?

      • Arley Ramos da Silva

        Olá Ane, fiz uma pergunta ao Daniel, se tiver algo a contribuir, será muito bem-vinda!!! Abs e obrigado.

        • Ane Elisa

          Olá Arley! Não sei te responder sobre esse produto específico… Tem que ver a temperatura de reprodução de cor que é dada em K (kelvin). Sendo amarela, acredito que deve ter um K adequado, mais baixo. Até 5000 K acho que é legal.
          Em algumas lojas você pode testar a lâmpada para ver se estão funcionando corretamente. Nesse caso, você pode pegar duas lâmpadas, cada uma com uma temperatura de cor e vai notar a diferença entre elas. Se não tiver como testar na loja, só comprando mesmo e testando em casa. Ainda assim vai ser perceptível a diferença.
          Vale bastante a pena e não sei dizer se os efeitos no sono são imediatos, mas na sensação de conforto com certeza são.
          A Philips é uma boa marca, então creio que seja um bom produto e que deve durar bastante.
          Outra coisa que você pode fazer é instalar um Dimer no interruptor da sua sala. Aí você regula também a intensidade e pode dar aquela escurecida quando estiver chegando perto da hora de dormir. Vai reduzindo a intensidade, maneirando na brincadeira… Criando o clima para cair no sono.

      • Arley Ramos da Silva

        Olá. Esta lampada da Philips seria uma boa escolha para a sala? A noite passamos a maior parte do tempo com nosso filho na sala, brincando, ou vendo TV. Queria começar com uma lampada amarela de qualidade. Muito obrigado desde já!! “Lâmpada Led Bulbo 13w Bivolt Amarela
        Philips”

    • Isa Rios

      Perfeitamente explicado, Daniel!!
      As pessoas não tem essa informação, pois apenas nós que somos da área estamos atentos a isso. A Temperatura de cor influencia o estado de alerta ou de relaxamento sobremaneira. Ainda existe essa crença de que “lâmpada amarela esquenta” e isso nada tem a ver com temperatura de cor que é, digamos assim, a cor aparente da luz emitida pela fonte.

    • Julia Nogueira

      Vc tem razão! É horrível essa luz branca, que chamo de luz de hospital. Tem as amarelas, gente.

      • Carolina Kadix

        as amarelas sempre me fizeram sentir tontura. será que ninguém para pra pensar nos aspectos individuais e no quanto de tempo que você fica ou não exposto a elas? toda luz artificial é ruim. ponto. E o motivo é bem simples: artificial. Então, tentem usar mais a luz natural e não enlouqueçam com as lâmpadas, aff

        • Raquel

          E de noite? Que luz natural vc quer que a gente use? 😉

        • Carla Brenner

          O problema das lâmpadas é seríssimo. tem muita materia em publicacoes internacionais d ate nacionais sobre o fato.

        • Yasmin

          Eu também me sinto mal na luz amarela, me parece sombrio sei lá

        • Rich Lohem

          A luz natural causa câncer de pele e não está disponível à noite em quantidade suficiente.

    • Fabio Haibara

      Boa dica Daniel Azevedo

    • Susy Meira

      Obrigada pelo esclarecimento!!????

  • Gica Maria

    Faz super sentido tudo o que está nesse texto! Sempre me incomodou a luz “branco-azulada” dessas lâmpadas fluorescentes e percebi total alteração no meu estado de humor com o uso delas!! Insônia, ansiedade, cansaço, pouca concentração, sensação de depressão! As lâmpadas fluorescentes tem uma luz triste!!
    Enquanto as antigas, incandescentes são “alegres”, trazem mais aconchego pro ambiente!
    Sabendo disso, agora com mais certeza ainda, vejo que não sou a única e vou fazer a troca imediatamente!

  • Simone Menezes

    Excelente matéria. Grata!

  • Sim, a halógena emite MUITO MENOS luz azul que uma lâmpada LED.

  • Foi justamente uma dessas econômicas (não LED) que começou a causar o meu problema. Você não precisa mudar todas as lâmpadas da sua casa, só as dos lugares que você fica mais. Eu mesma só mudei do meu quarto e do meu escritório.

  • Estevão Östein

    Parapsicólogo = picareta. É médico? Não É psiquiatra? Não É Químico? Não. Engana só as mulherzinhas.

  • Estevão Östein

    Hans Otto Kroeger escreveu:
    Também quería esclarecer um detalle (que devería ser conhecido por todos), e que deixa em evidencia que a publicaçao carece de seriedade:
    Faz décadas que existem lámpadas fluorescentes que emitem “luz do día”, e inclusive luz amarela. É só prestar atençao na hora da compra.
    Com mais razao nas lámpadas led, da qual, uma das principais características técnicas é a facilidade de controle da largura de onda, razao pela qual, ainda que técincamente os modelos comercializados atualmente emitem a mesma “quantidade de luz” (lumens) que as fluorecentes, as lámpadas led acabam sendo muito mais eficientes (um ambiente iluminado com leds necesita aprox. a metade dos watts que um ambiente iluminado com fluorecente) – mas nao por produzir mais “luz” senao porque nao produz faixas de iluminaçao invisível ao olho humano (nao produz nem luz infravermelha, nem luz ultravioleta – que evidentemente também consomem energía, e sao medidos).
    Por suposto: Com meia hora ao sol você receberá mais radiaçao ultra-violeta que durante 24 horas em ambiente iluminado com lampadas de filamento incandescente, ou fluorecentes. Razao pela qual a pubicaçao nao merece nenhuma credibilidade.

    Digo eu: o cara tem nome alemão e o assunto aqui é física e química, respeitem. kkkk

  • Henrique Delucca

    Olá Andresa,
    Sua publicação me chamou muito a atenção pelo fato de que tenho sentido quase todos os sintomas relatados. Um esgotamento sem limites seguindo a contramão de um estilo de vida saudável quanto alimentação, prática diária e atividade física e busca pela paz espiritual.
    Há algum tempo coloquei uma lampada florescente na cor azul, acho de 20 W, no quarto. Segundo a cromoterapia a luz na cor azul seria relaxante. Será que tenho feito a coisa errada???
    Amanhã mesmo buscarei trocar as lampadas do ambientes que mais frequento e o programa f.lux já foi instalado no notebook. Quanto ao ambiente de trabalho (orgão público) , não poderei trocar as lampadas. Gostaria de saber mais sobre o modelo do oculos que filtra a luz mais nociva.
    Desde já agradeço a atenção e o gesto de ter compartilhado preciosa informação conosco.
    Saúde, paz e um grande abraço

    • Experimente trocar a sua lâmpada, é possível sim que ela esteja te influenciando de forma negativa. Se não for, tem outras coisas que você pode investigar, como deficiência de Vitamina D, hipotireoidismo, fadiga adrenal, deficiência de testosterona, etc. Se for sua lâmpada você vai descobrir com poucos dias da troca.

      Quanto aos óculos, eu vou escrever uma matéria mais aprofundada sobre eles, outras pessoas já perguntaram. Eu ainda não tenho, mas comprei essa semana. Como é importado, deve demorar para chegar mas vou fazer a matéria antes.

      Curta a página do Facebook para você ficar sabendo quando tiver a matéria deles.

      • bella see

        Boa tarde, Andresa! Existem lâmpadas com filtro UV de 40 watts ou menos? Estou procurando e só encontrei as de 60 watts para comprar.

        • Oi Bella! No supermercado daqui eu só achei de 60 também, mas no Mercado Livre tem de 40.

          • Fabio L. Almeida

            Não estou achando aqui em Niterói para comprar as lâmpadas, vc indica algum site?

      • Douglas De Oliveira Rodrigues

        Olá Andresa eu cai de gaiato no seu blog e adorei, quero inclusive pesquisar com mais afinco sobre isso. Só queria te dizer que fabricante de lentes Hoya tem uma linha de óculos com a tecnologia blue Control que faz justamente isso e dá pra comprar aqui no Brasil não precisa importar, creio que as vezes fica mais em conta daí. Abraços

      • Fabio L. Almeida

        Por favor nos mantenha informados sobre esse óculos…

  • Ana Claudia Bonatti

    Andressa obrigada por compartilhar essa dica conosco…penso que cada um deve encontrar a melhor maneira para viver somos bem diferentes uns dos outros (falando de psicotropicos) mas agradeço a dica das lampadas vou testar! Obrigada

  • Eu escolhi o Rivotril como exemplo justamente por ser moderno e seguro, além de um dos mais usados. Todos os outros apresentam efeitos iguais ou piores. Meu problema foi resolvido com 5 reais que gastei em uma lâmpada, não entendo o porquê de você ter achado tão ruim eu não ter tomado remédios.

    Se eu tivesse sido medicada – e teria sido se tivesse procurado ajuda médica – meu problema NÃO teria sido resolvido – esse o ponto.

    • Isaac Trindade Silva

      Na minha opinião, fica claro que se você tomar medicamentos pra resolver um problema, e continuar se expondo ao agente causador do problema, a situação só se complica ainda mais.

  • Ittoiffas Leafar

    Para mim faz todo o sentido realmente, troquei intuitivamente todas as lâmpadas de casa por cores mornas (mesmo que ainda fluorescentes) pela sensação de “hospital” que as brancas trazem e eu detesto e faz todo o sentido também o relato sobre o melasma que tenho já que passo praticamente o dia todo em frente ao computador, vou tentar também esse filtro sugerido que instalei e realmente fica bem confortável para a vista, obrigado pelo texto, a intuição pode ser nossa melhor aliada.

    • Ana Cardoso

      isso aí, também tive a intuição de que as lâmpadas mornas eram melhores pra o aconchego, mas não sabia do efeito “despertar” da azul.. grata

  • Cari Morgan

    Existem leds amarelos atualmente. Usei na minha casa. Será que ainda têm esse efeito maléfico?

  • Roberto1776

    O artigo no site inglês DAILY MAIL fala sobre fluorescentes e fluorescentes compactas. Não li nada sobre as modernas de LED.

    • Na verdade ele usa o termo CFLs, que para eles no geral é tudo a mesma coisa. É igual quando nós aqui falamos “gilette” e estamos nos referindo a vários tipos de lâminas de barbear.

      Note também que os médicos da reportagem têm estoques de lâmpadas incandescentes nas casas deles. Se as lâmpadas de LED fossem boas, eles não preciariam fazer isso.

      • Roberto1776

        CFL significa Compact Fluorescent Lamps, portanto não abrange as Light Emitting Diodes (LEDs). Cuidado com o terrorismo.

  • Francisco Della Vecchia Bernar

    Se colocar luminaria tipo aqueles globo leitoso envolta das lampadas de led e florescente será que diminui os efeitos nocivos da luz azul ?

  • Bruno Silva

    Andressa bom dia, eu estou com todos esses sintomas á anos, pois desde quando começou a ser comercializadas as lampadas de led eu comecei à usa-las. Bom saber disso, eu já havia notado que desde a casa nova comecei a ter esses sintomas de depressão, procurei médicos, tomei medicamentos mas nada melhora, só tenho vontade de ficar num canto isolado sem falar com ninguém pensando no sentido da vida. Vou procurar fazer a mudança na minha casa o mais rápido possível, voltar a usar às lampadas incandescentes da década de 80, pois nesse periodo éra díficil ouvir falar em depressão. Muito obrigado por divulgar se estudo, acredito que como eu e você, deve ter mais pessoas passando pelos mesmos problemas.

  • Rosane Maria

    E a depressão bipolar? Também entra nesses critérios? É só trocar as lâmpadas?

    • Tem várias coisas que podem causar depressão. Eu tentei um monte de coisas para melhorar, e no fim das contas era a lâmpada que estava me fazendo mal. Porém, com você pode ser outra coisa. Trocar a lâmpada é uma coisa que você pode tentar, você vai gastar só 5 reais e vai ser uma tentativa. Se não der certo, siga investigando outras causas, tem muito conteúdo na internet.

  • Mona Nadeshiko

    Agradecida Daniel. Na embalagem ainda tá difícil de ter todas as informações e esse material que enviou é um bom começo. 🙂

    • Daniel Guilbi Azevedo

      Fico feliz em ajudar, estou às disposição para qualquer dúvida.

  • Regina B

    Muito interessante, obrigada por nos alertar.

  • Carbono Silício

    Utilizando um disco CD/DVD pode-se ter uma ideia aproximada do espectro reflectido por cada lâmpada.

    Expondo à luz solar verificamos no disco que o espectro refletido é rico no transiente entre as cores tal como no arco-iris.

    Utilizando o mesmo disco iluminado por lâmpada incandescente, CFL ou LED verificamos que existem cores predominantes e falhas na transição entre estas, significando que o espectro não é tão completo como o Sol.

    Nas minhas observações, as lâmpadas que, de um modo geral, apresentam maior semelhança à uz solar são as incandescentes, em 2º lugar as LED e por último as CFL.

    Nas CFL é perfeitamente visivel as bandas que distinguem os azuis – verdes – vermelhos ou seja falhas nos comprimentos de onda emitidos por estas.

    As LED são francamente melhores e como existem vários tipos e cores emitidas podemos assim escolher a que emite uma temperatura mais quente (2700 – 3300 Kelvin).

    Resumindo, ao comprarmos uma lâmpada podemos levar um disco CD/DVD e pedir para a ligar e verificarmos a sua reflexão espectral. A ter em atenção as outras luzes do ambiente em volta por isso convem tapar o mais possível o disco de forma a apenas captar a radiação da lâmpada em teste.

    Na foto em anexo podemos ver, por exemplo, o espectro reflectido de uma CFL, verificamos como é pobre em amarelos e vermelhos e forte nos azuis, assim como a falta de transição suave entre estas, visivel nas bandas.

    https://uploads.disquscdn.com/images/d21a47a87f553508570139363ee4661b53902a83ea1300d4529441c0b3b708a5.jpg

  • Leandro Rodrigues

    Boa noite! Será que alguém poderia ser mais específico em colocar um modelo de exemplo de led amarela que não emite esse comprimento de onda de luz azul? Sei que é importante a explicação. Mas isso pouco ajuda a leigos.

    • Daniel Guilbi Azevedo

      Oi Leandro, na maioria das embalagens tem a temperatura de cor, a ideal é 2700k, na dúvida compre branca quente ou luz amarela, qualquer dúvida estou às disposição.

      • Leandro Rodrigues

        Obrigado, Daniel. Vou pesquisar. Vc teria algum link com alguma específica só para eu olhar na internet? Tenho receio de pesquisar errado. Desculpe incomodar mas como você parece que entende eu atalho. Obrigado.

  • regina lian

    Rivotril é ansiolítico e não antidepressivo!!!!!!!!!!!!!!

    • O Rivotril é antidepressivo SIM, está escrito na própria bula dele. Segue – http://www.minhavida.com.br/saude/bulas/10-rivotril-comprimido

      Há vários antidepressivos com tarja preta e que causam depressão. Por favor, não espalhe desinformação nos comentários.

      • Stella Maris B

        Exato e o Brasil é o segundo lugar no mundo no consumo deste veneno institucionalizado!!!!

      • Nybus Lago

        Diazepam, clonasepam (rivotril), etc terminado em “am”, são medicações p tratar ansiedade ou ansiolíticos. Todos terminados em “am” sao tarja Preta e só podem ser comprados com a receita azul( q significa q seu uso prolongado pode viciar É q provavelmente vc terá q usar o resto da vida, são excelentes medicações p tratar vários transtornos ). O q geralmente acontece é q quando alguém tem depressão e não consegue dormir devido a ansiedade, se usa um antidepressivo ou mais ( tarja vermelha, com retenção da receita) agregado a 1 ansiolítico p diminuir a ansiedade e induzir ao sono. Por isto a confusão.

    • Nybus Lago

      Corretíssimo.

  • Humberto Acsp

    Por favor. Sobre essa lâmpada Osram – ou qualquer outra eu queria saber: onde fica a informação sobre a presença desse filtro contra a luz UV, ou melhor, de que maneira está especificado isso na embalagem? Obrigado.

  • Leandro Carvalho

    Eu estou passando por esse mesmo problema!!! Muito obrigado!

  • Cássio Lima

    Não, mano… Não compra lâmpada incandecente não, essa cipa gasta uma energia da pleura!

  • Lucas Cordeiro

    alguma dica também para minimizar os danos de visão causados pelos smartphones?

  • Katia Regina da Matta

    Meu Deus, sabia que estava com catarata, Mas de uns tempos para cá estou quase cega!!
    Só durmo após as 4 da madrugada, estou cheia de verruguinhas que estão se multiplicando vertiginosamente….
    Tudo por causa da lâmpada!?!?!

  • Celio Ferreira

    Valeu, Andressa. Isto que vc descobriu agora, há muito tempo eu já sabia. Me prevenindo das leis absurdas dos políticos, mantenho, em minha casa, um estoque de lâmpadas amarelas praticamente pra vida toda. Quanto ao pc, desde que me lembro por gente uso óculo com proteção para UV. Eu costumava alertar as pessoas sobre o problema, mas era o mesmo que falar no vazio. Não dou mais palpite. Outro problema também é o fone de ouvido. Comecei a escutar um zumbido no ouvido que parou quando abandonei o dito cujo. Sobre este problema também não alerto mais ninguém, porque as pessoas não acreditam em quem não tenha especialidade médica. Por sinal, a única pessoa que acreditou nos meus palpites sobre o assunto foi uma médica.

  • Gabriele Brigitte Walter

    Nas aulas que dou sobre neurotransmissores, em um curso de pós graduação, falo sobre lampadas, quais utilizar e em quais ambientes. A luz branca ou ‘azul’ libera cortisol no organismo e não deve ser instalada em ambientes como dormitórios, salas de estar e salas de jantar ou outros ambientes onde pressupomos relaxar. Devem se restringir a ambientes onde se necessita estar em alerta. A luz amarelada (já existem lampadas led e economicas com luz amarelada ‘luz de vela’) que libera a serotonina, neurotransmissor que leva ao relaxamento.

  • Willian Walerko

    O assunto e rivotril ou lâmpada??

  • Carlos Beppler

    Passei pelos problemas relatados e resolvi com lentes especial “Crizal Prevent” que filtram essa luz azul que está presente na iluminação doméstica e pública. Nunca mais senti cansaço ou visão embaçada.

  • Geraldo Bohessef Bou Assaf

    Em minha casa as lâmpadas de LED não são brancas, são amareladas e não me causou problema algum desde que passei a usá-la.

  • Todas as lâmpadas dão câncer. Durmam com essa agora.

  • José De Almeida Bispo

    Adorei seu artigo!
    Em 1994 eu troquei quase toda a iluminação da minha casa por fluorescentes comuns. A luz, aparentemente ficou bem melhor que as incandescentes que usava, especialmente no meu escritório; porém, pra começo de conversa notei os pulsos das emissões luminosas das ditas lâmpadas, mesmo quando se tratava de instalação em duplas ou trios. Aí, um belo dia tomei uma surpresa. Dando uma de pintor de faixas (publicidade) numa área de serviço, onde havia uma dupla de 40 watts resolvi reforçar. Mas só tinha em casa sobrando uma lâmpada incandescente de 200 watts, Fui lá, puxei a gambiarra e consegui colocar a danada dependurada no conjunto prévio. Na hora em que empurrei a tomada macho na fêmea da parede tomei um choque, no bom sentido: me vi diante da luz do dia. Mei’ matutador, lembrei que, além do luz solar sempre estar entre o branco e o amarelo, a luz que temos usado durante centenas de milhares de anos antes de dormir tem sido a da fogueira, que é amarelo-alaranjada. Ou seja, nossa biologia não está para absorver luz azul e sim amarela. E é óbvio que, ao nos tanto expormos à dita luz azul passamos a sentir o mesmo sentimento que sentem as pessoas que moram em regiões de altas latitudes quando chega o inverno.

  • Carolina Kadix

    depressão e vários dos sintomas que foram relatados são de causas muito complexas e fatoriais pra se atribuir tão somente a estes agentes causadores. Está bem claro o seu conhecimento sobre as lâmpadas e os malefícios, mas ao mesmo tempo é gritante o seu desconhecimento sobre o assunto depressão. O problema é que por um lado você esclarece algo mas por outro, você está induzindo muita gente que tem essa doença a agir de uma maneira muito imprudente. Achar que tem depressão, achar que não tem! Não sei qual dos dois é pior! Sem contar os fatores químicos, genéticos, emocionais e psicológicos que foram todos pras cucuias né? Ta tudo na lâmpada ou troque a lâmpada e mude sua vida! Ah me poupe. Deveria fazer uma ressalva, ali no final, bem aonde você enfatiza: “Se você tem algum desses sintomas, experimente substituir as lâmpadas…” explicando sobre a seriedade desta doença e deixando BEM CLARO que as pessoas precisam buscar orientação médica completa (psicólogo, psiquiatra, endocrinologista, neurologista e no caso de mulheres, também ginecologista) isso só pra poder começar a investigar se você tem mesmo ou não depressão ou se é algum outro tipo de transtorno, problema de saúde, problema social ou só indução das coisas que lê por aí

  • Rubens Vital

    Está na internet, então deve ser verdade.

  • Mario

    Andressa, seu artigo carece de informações corretas, afirna coisas erradas, é apelativo, parecendo estar a serviço de uma tentativs de induzir leitores a parar de comprar​ lâmpadas Led e mudar tudo para incandescente, o que abdolutamento é uma burrice. A única coisa certa é que a temperatura de cor para humanos deve ser de 2700K e computadores e celulares devem usar software para amarelar a tela após o pôr do sol, pois de fato a luz quanto mais branca e azulada, mais afeta a produção de melatonina e prejudica o sono. No mais, vc não cita nenhuma fonte que comprove suas argumentações e vários comentários já mostraram os equívocos que vc escreveu sobre raios UV em lampadas fluorescentes e Led. Recomendo a todos que mudem para Led e em suas casas só usem lâmpadas com temperatura de cor ao redor de 2700 Kevin. E à noite, após o sol se por, se não puderem evitar telas de computador e celular, usem.um aplicativo que corrija a tempetatura de cor. Eles geralnente deixam a tela rosada ou levemente amarelada e ajudar a prevenir a redução da melatonina, o hormônio do sono. Seu artigo, que só confunde as pessoas e exagera a sua própria experiência, descreve o que aconteceu com vc, mas nunca vi caso igual ao seu em toda literatura médica. Teria que ser melhor estudado. Que eu saiba, atualmente, o que a ciência recomenda é que se tenha uma vida regrada, se alimente bem, cultive suas amizades e afetos e faça meditação. Bom dia a todos

  • Anounimus

    Obrigado pela dica. Tenho comprado as de 4700k, vou ficar atento

  • Marcello Ka

    Uso lâmpada de LED de luz amarela na casa inteira. São econômicas e não têm esse problema de luz azul…

  • Fabiano Caldeira

    Eu não acredito que tem gente associando depressão com lâmpadas. Eu tenho 40 anos e desde que me dou por gente tenho depressão. Nunca tomei nenhum remédio porque ela é controlável, tendo surtos às vezes. Mas o que eu quero dizer é que muito antes dessa onda de mudança de lâmpadas existirem as pessoas já têm depressão. Esse artigo me parece aquelas propagandas plantadas de lâmpadas incandescentes. Vai lá. Troque suas lâmpadas econômicas por incandescentes e fique bem alegre com o salto de sua conta de luz. É impressionante como algumas pessoas são ignorantes. Parecem até aqueles religiosos fanáticos que deixam o filho morrer no hospital porque acreditam
    que transfusão de sangue é veneno ?

    • Robson Maciel

      O Sr. ‘Depressão Paleolítica’ recheou seu discurso de afirmações bibliográficas, correto? Não. Ao menos leia a bibliografia do texto antes de emitir opinião, Sr. Sou-dono-da-razão. Sobre o seu problema, entenda em primeiro lugar que os fatores de risco somam-se, e por isso, não necessariamente e em todos os casos o problema sejam apenas as lâmpadas fluorescentes. Mas sim, presença de metais pesados, disbiose causada por desequilíbrio alimentar e baixa quantidade de vitamina D por ausência de contato da pele sem protetor ao sol são os principais, mas não para por aí. E oh, quando corrigir tudo isso – inclusive as lâmpadas – se ainda não melhorar, aposte na psicoterapia – quem sabe assim você consiga deixar de ser este pessimismo em pessoa. Boa sorte.

  • Anne Marie Ornelas

    Além de tudo que foi relatado aqui sobre depressão, insonia, pintas na pele, etc., eu como decoradora sempre estou “brigando” com clientes e amigos tentando mostrar o quão feia se torna uma decoração iluminada com luz branca. A luz branca distorce as cores além de deixar o ambiente frio e sem personalidade. A luz amarela além de repousante deixa o ambiente aconchegante. Uma pequena mistura com dicróicas para iluminar pontos específicos é bem vinda.

  • Airtonio Ferreira

    Mas a fabricação e comercialização de lâmpadas incandescente não foi proibida?

  • Rose

    Boa noite, parabéns pelo blog e obrigada pelo alerta! Pesquisando na internet achei a marca “halolux ceram” com a informação de que possui filtro UV.
    Contudo, acho que não é vendida no Brasil. Será que encontro alguma lampada com esse filtro UV por aqui?

  • Isvaldo Fenrnades de Souza

    Cara, isso é farmacologia, busque fontes científicas. Rivotril estimula o gaba. Sobre o efeito desconhecido isso já é fato em quase qualquer coisa. até uma banana contém efeitos ainda desconhecidos. Sobre o tempo de uso você está certo! (Lembrando que medicação sozinha não é solução.) Obrigado!

  • orlandoberaldo

    Tem lâmpada de LED sem a cor azul tbm. Além de ajudar no tratamento vai ajudar o meio ambiente, consumindo 100x menos energia do que uma lâmpada incandescente (que mto em.breve vai sair do mercado)

  • José Glaydson

    Eu já acho lâmpadas amareladas deprimentes, “morgadas”, fico agoniado em ambientes com luz morta. Prefiro as fluorescentes brancas que não alteram a percepção das cores ao nosso redor, além de serem mais econômicas e iluminarem melhor os ambientes.

  • Claudio Ribeiro

    Olha, eu recentemente tive sintomas de depressão… Estou bem agora. Mas tenho percebido que minha visão tem piorado muito.
    Alguma coisa me fez desconfiar exatamente da iluminação.
    Vou mudar o mais rápido.
    Eles devem saber disso, mas a ganância sempre será maior que tudo nossa saúde e até nossa vida.

  • Camila Satolo Do Canto

    eu comprei lampadas LED de luz amarela. Tbm não emitem raios UV. Será que fazem o mesmo efeito que as incandescentes? ou ainda assim seriam prejudicais? me identifiquei muito com o seu relato!

  • Fabio L. Almeida

    Qual a potência dá lâmpada fluorescente usar ?

  • Fabia Novelli

    nossa nunca tinha parado pra observar , e pura vdd td q li aki agradeço a informaçao , e com certeza vou fz uso delas ,ajudou muito obg

  • Eduardo Morari

    O texto poderia vir com uma bibliografia no final.

  • José de Arimatéia Temporim Lui

    Se tem pObRema em…

  • Edu D. Queiroz

    acrescento tbm o uso de uma luminária de teto pra intensificar o controle no ofuscamento que a lampa produz.

  • Eduardo Junior

    Oi, por acaso acabei entrando aqui no seu blog e gostaria de parabenizá-la por escrever sobre o assunto.
    Eu também uso apenas lâmpadas incandescentes há algumas semanas! Tive muitos problemas com lâmpadas fluorescentes e de LED.
    Coincidentemente, a forma como percebi que poderiam ser as lâmpadas que estavam me causando mal estar foi quase igual à sua.
    Eu lembrei que na infância eu gostava do meu quarto bem iluminado com a luz do sol pelo dia e com luzes antigas (incandescentes) a noite.
    Eu gostava tanto dessa coisa de iluminação que era eu mesmo quem comprava minhas lâmpadas do quarto, e fazia questão de comprar aquelas bem fortes (150W).
    Percebi então que as lâmpadas fluorescentes e de led não tinham a mesma iluminação que as antigas que iluminavam meu quarto e eram muito menos parecidas ainda com a luz do sol, e busquei então uma opção, encontrando as novas halógenas.
    O estranho é que meus irmãos conseguem usar as lâmpadas de LED sem nenhum problema.
    Eu acredito que existam pessoas, como nós, que são mais sensíveis às variações do ambiente e, portanto, essa questão da influência da iluminação sobre o humor não seja uma regra.
    De qualquer forma, ainda que sejamos minoria, é bom mantermos a atenção no assunto a fim de evitarmos que a proibição do comércio de lâmpadas incandescentes chegue ao Brasil também, pois isto seria algo extremamente negativo para mim e para as pessoas sensíveis a essa questão.
    Um abraço!

  • Humberto Luiz Sobierajski Filh

    Pesquisa com referências científicas e grupo de controle ou vc não passa de uma mentirosa, burra que acredita no que lê na internet e sai reproduzindo.

    Sabe pq os psiquiatras e oftalmologistas “não sabem disso”? Porque não existem dados que apontem para a relação de causalidade geral que vc supõe e, diferente de vc, eles são pessoas que levam o estudo e a ciência à sério.

  • Nuno Figueiredo

    Nunca vi tanta tolice em um artigo. Lâmpadas incandescentes não emitem radiação UV, apenas as de vapor de mercúrio.

  • Cris R Souza

    Meus olhos começaram a ficar extremamente secos depois que troquei as lâmpadas para led luz fria 9W. Eu também estou com queimaduras na pele da face, logo abaixo dos olhos, eu já passei todo tipo de creme e pomada. Comecei a desconfiar pq meus olhos secam mais quando estou do lado da sala onde as lâmpadas são as novas. Tenho tido outros sintomas também.